I_1_ION_sugar

Lewatit® adoça seu dia

Produtos como as resinas de troca iônica da marca Lewatit® da LANXESS tornam o açúcar branco e refinado.

Lewatit® adoça seu dia

I_2_ION_sugar

 

Não é só nas guloseimas preparadas especialmente pela vovó que adoramos sentir aquele sabor docinho. Seja em um cafezinho após o almoço, naquele doce que fica na vitrine da padaria ou em um chá quentinho numa tarde fria que os adoçantes fazem parte do nosso cotidiano. Porém, antes do açúcar bruto se tornar o branco refinado, ele precisa passar por um longo processo.

Inicialmente, obtém-se um extrato a partir da beterraba, principalmente na Europa, ou por meio da cana-de-açúcar. Este extrato contém, além da cobiçada sacarose, portanto, do açúcar, também sais, ácidos e proteínas.

Para remover as substâncias que não entram na composição do açúcar, o extrato bruto é misturado com leite de cal e cal viva. Em seguida é adicionado dióxido de carbono, fazendo com que se forme um extrato marrom-amarelado. É aí que entra em ação resinas trocadoras de íons da LANXESS: o extrato escuro é filtrado e assim é dessalinizado e descalcificado.

O resultado? Um líquido límpido, amarelo-claro, que é ‘engrossado’ em estações de evaporação, descolorido novamente mediante o uso de trocadores de íons e, em seguida, cristalizado. Ao final, obtém-se um produto refinado, ou seja, açúcar branco, puro, do mais alto grau de qualidade.

O funcionamento das resinas trocadoras de íons é simples: as esferas polímeras de cor bege até âmbar, com tamanho de aproximadamente um milímetro, aglutinam determinados íons da solução de açúcar bruto e, em contrapartida, entregam outros íons à solução.

Desta forma, elas aspiram, por exemplo, sais indesejados e, no lugar, introduzem íons de hidrogênio ou de hidróxido na solução de açúcar bruto – portanto, liberam água. Para retirar do açúcar bruto a sua cor escura, as esferas polímeras absorvem a molécula colorida sem entregar outros íons. Este processo já teve a aprovação de mais de 1.000 clientes da indústria alimentícia em todo o mundo.

Na Alemanha, o Lewatit® vem obtendo sucesso entre as indústrias do ramo: “As nossas resinas trocadoras de íons são utilizadas por todas as usinas que refinam açúcar”, declarou Hans-Karl Soest, gerente de Marketing Técnico da LANXESS Business Unit Liquid Purification Technologies (BU LPT).

Elas utilizam as pequenas esferas, por exemplo, para fabricar aperitivos, iogurtes, pães, cervejas, balas de goma e até pastas de dentes. Para poder atender à crescente demanda, a matriz da LANXESS, em Leverkusen, ganhou o reforço, em abril de 1999, da IAB Ionenaustauscher GmbH de Bitterfeld, uma filial 100% da LANXESS. E no ano passado, a empresa recebeu mais uma linha de produção.

Além disso, está sendo instalado em Jhagadia, na Índia, um novo equipamento de produção. Ele começará a funcionar, conforme planejado, no final de 2010 e produzirá, além do Lewatit®, também outros produtos da ION.

Atualmente, cerca de 240 colaboradores dessa unidade de negócio trabalham nas fábricas da Alemanha para garantir os produtos para a fabricação de guloseimas, não só as da vovó, mas de todo mundo que tem o dom de cozinhar.

 

www.lewatit.com