Japan_outside1

Vida mais colorida

Quando você pensa em edifícios de concreto, você pode imaginá-los com superfícies monótonas em cinza. Mas o concreto nem sempre tem que ser sem graça! Vários projetos de arquitetos de renome têm mostrado as muitas possibilidades do concreto colorido. Um desses arquitetos é Akihisa Hirata do Japão. A LANXESS concedeu-lhe o Prêmio Colored Concrete Works este ano por seu complexo de apartamentos “Alp”, em Akabane-Nishi, em Tóquio.

Em harmonia com a natureza

_alps3594

O complexo “Alp” encontra-se no centro de Tóquio.

Iniciado em julho de 2009 e concluído em março de 2010, o complexo “Alp” encontra-se no centro de Tóquio. Ele é cercado por morros naturais. Os prédios estão juntos, e diferem na forma e tamanho do telhado. Hirata teve o desafio de alcançar a harmonia entre os edifícios e seu meio ambiente. Em resposta a isso, ele usou a topografia original como um ponto de partida na definição de seu projeto conceitual.

E ele foi bem-sucedido: estruturas fractais dos edifícios, e superfícies côncavas e convexas fundem-se imperceptivelmente para formar a sua aparência geral. Para combinar o complexo com a paisagem original, ele coloriu o concreto em um tom especial de carvão vegetal. Desta forma, o arquiteto criou um cenário que fez com que observadores e residentes pudessem notar a proximidade direta dos edifícios com as forças da natureza. Os salões e corredores dentro assemelham-se a vales naturais. Luz e ventilação inundam os níveis mais baixos e a área de jardim.

Uma solução convincente

Japan_outside2

O resultado convenceu o júri internacional do Prêmio Colored Concrete Works deste ano

Foi particularmente importante para Hirata que a natureza das superfícies e as características visuais do concreto fossem mantidas. Isso não teria sido possível se a cor tivesse sido meramente aplicada externamente. Portanto, sua escolha recaiu sobre a coloração integrante permanente com pigmentos Bayferrox da LANXESS. A vantagem dela é a grande variedade de cores e tonalidades que podem ser obtidos, dependendo da quantidade e combinação de pigmentos adicionados.

O resultado convenceu o júri internacional do Prêmio Colored Concrete Works deste ano, composto por especialistas da imprensa de arquitetura e especializada. Eles honraram a impressão transmitida por este projeto de construção de um relacionamento profundamente compreendido entre o natural e o artificial, bem como a sua perfeita integração ao meio urbano. Como recompensa, Hirata recebeu o Prêmio Colored Concrete Works da Unidade de Negócios Inorganic Pigments da LANXESS. Ele é dado a com arquitetos que tenham prestado serviços relevantes para o uso da cor em edifícios de concreto.

Arquitetura feita sob medida

Pigmente_02

Pigmentos de óxido de ferro Bayferrox de Krefeld-Uerdingen têm definindo tonalidades de cor em todo o mundo há quase 90 anos

Os pigmentos de óxido de ferro Bayferrox de Krefeld-Uerdingen têm definindo tonalidades de cor em todo o mundo há quase 90 anos e ganharam a confiança de clientes em uma grande variedade de indústrias. Desde que a produção começou, em 1926, mais de doze milhões de toneladas desses pigmentos coloridos de alta qualidade ganharam o mundo.

Julius Laux, um químico da cidade de Krefeld, descobriu, em 1926, que pigmentos coloridos poderiam ser feitos a partir de cromo de óxido de ferro, um produto secundário na produção da anilina. Naquela época, a cor era considerada um item de luxo. Somente quando o padrão geral de vida subiu que os aspectos estéticos assumiram uma importância crescente. A Unidade de Negócios Inorganic Pigments da LANXESS agora oferece uma paleta de mais de 100 tons para o mercado de construção civil. As fachadas dos hotéis de luxo e as pedras de pavimentação de calçadas inteligentes à beira-mar estão cada vez mais sendo embelezadas com projetos que levam pigmentos sintéticos de óxido de ferro e cromo.

Um lar para a arte

Portugal Casa das Historias Rego_01

O museu “Casa das Histórias Paula Rego” em Cascais, em Portugal

Outro exemplo é o museu “Casa das Histórias Paula Rego”. Esta estrutura pioneira em Cascais, em Portugal, mostra o quão bem as construções modernas de concreto podem ser enquadradas em uma paisagem natural. A renomada artista Paula Rego selecionou o famoso arquiteto Eduardo Souto de Moura para projetar o museu, que serve de lar para seus trabalhos. Cerca de 3.800 metros cúbicos de concreto foram utilizados para a sala de exposições, ao passo que 18 toneladas de pigmento de óxido de ferro vermelho Bayferrox 110 e o Bayferrox® amarelo 420 deram a cor. O arquiteto reinterpreta o método histórico da região de construção em um estilo moderno com o uso de cimento vermelho. Os editores da revista “art” consideraram o museu como um dos mais impressionantes edifícios de exposições do mundo.

Tradição mistura-se à modernidade

No outro extremo do espectro arquitetônico, e bem maior, está o Emirates Palace Hotel em Abu Dhabi, em um ambiente onde não faltam prédios imponentes: Um sonho de cinco estrelas das Mil e Uma Noites, com 302 quartos, 92 suítes, 102 elevadores e um total de 114 cúpulas decoradas com folhas de ouro. 250.000 metros cúbicos de concreto e cerca de 60 toneladas de pigmentos Bayferrox foram necessários para este moderno castelo de conto de fadas, cuja mistura de pedras naturais e concreto aparente converte o estilo de construção tradicional da região para a modernidade.

Super Highway na Coreia

72952_CaseStudy_Korea_S2.indd, page 1 @ Normalize

Daum Kakao Space.1 na ilha de Jeju, na Coréia

Em cooperação com o arquiteto Minsuk Cho, a empresa sul-coreana de TI, Daum Kakao, criou o Daum Kakao Space.1, o edifício sede do grupo. Ele corresponde à cultura empresarial especial de Daum Kakao, enquanto, ao mesmo tempo, reflete as características cênicas especiais do meio ambiente do edifício na ilha de Jeju, na Coréia.

O objetivo do projeto era recriar as estruturas de trabalho horizontais da gigante de TI em termos físicos. A forma longa e estreita do edifício por uma área de 132 mil metros quadrados representa uma espécie de “Super Highway”. Ao mesmo tempo, uma superestrutura de arquitetura divide a localização em uma área rural e urbana.

Durante a implementação do projeto, Minsuk Cho decidiu em favor do concreto tingido com pigmentos Bayferrox, que dão uma imagem autêntica dos atributos típicos da ilha. O Bayferrox 318, Bayferrox 920 e Bayferrox 4130 foram os tipos usados, pois foi possível, com eles, recriar a rocha vulcânica típica de Jeju, fiel ao original. Com o seu design próximo da natureza, o respeito desse material de construção pelo meio ambiente, é apenas uma das contribuições positivas para a imagem do projeto.

A campanha Colored Concrete Works da LANXESS mostra todas as possibilidades do concreto colorido. Vários projetos podem ser vistos no site http://colored-concrete-works.com